Pai Rico, Pai Pobre: 7 ensinamentos fundamentais para a sua vida

Um dos grandes méritos do nicho de educação financeira é que atualmente existe uma literatura extremamente vasta sobre o tema. Com isso, é possível aprender bastante sobre o controle do dinheiro por conta própria e de maneira fácil.  

Dentro dessa diversidade de conteúdos, existem algumas obras específicas que se destacam. Entre elas, não podemos deixar de citar um dos maiores clássicos da educação financeira: o livro Pai Rico, Pai Pobre. 

Essa obra literária é um dos livros mais populares do nicho e costuma atingir não só as pessoas que gostam do tema, mas até mesmo iniciantes ou quem sequer sabe o básico sobre investimentos e o cuidado com o dinheiro.  

Por conta da importância dessa obra para a formação de uma boa mentalidade financeira, separamos aqui neste artigo 7 ensinamentos fundamentais do livro Pai Rico, Pai Pobre. Confira e comece a aplicar hoje mesmo em a sua vida.  

Pai Rico, pai pobre capa
Capa do livro “Pai Rico, Pai Pobre” (Foto: Divulgação) 

Do que se trata o livro Pai Rico, Pai Pobre? 

O livro “Pai Rico, Pai Pobre”, basicamente tem como objetivo ensinar as pessoas sobre a forma correta de se usar o dinheiro e fazer com que ele atue a seu favor. 

Com isso, as pessoas podem colher ferramentas para deixarem de ser escravas de suas rotinas e começarem a construir a prosperidade financeira e na vida de modo geral.  

Para esse objetivo, porém, Robert T. Kiyosaki, autor do livro, utiliza ferramentas narrativas que ajudam a tornar a leitura do livro dinâmica e fácil de se entender e aplicar. 

Uma delas é que ele dá esses ensinamentos usando como exemplo dois personagens: o pai rico e o pai pobre. 

O pai pobre, no livro, é o pai biológico do autor. Já o pai rico é o pai de seu melhor amigo, com quem teve bastante convivência e que o ajudou a formar a sua mentalidade financeira. 

Se engana, porém, quem usa de estereótipos para definir os dois pais. 

Afinal, o pai pobre é o que tem todos os títulos acadêmicos, com graduações e especializações nas maiores universidades dos Estados Unidos, título PhD (doutorado), entre outras conquistas. Já o pai rico, em contrapartida, sequer completou o Ensino Médio. 

Ambos foram bem-sucedidos em suas carreiras, trabalharam duro e ganharam muito dinheiro.  

Mesmo assim, o pai doutor faleceu deixando dívidas para a família e o pai sem títulos acadêmicos se tornou um dos homens mais ricos do Havaí e deixou dinheiro para seus familiares, igreja e instituições de caridade.  

E qual então é a diferença entre os dois? O pai rico sabia como utilizar o dinheiro e o pai pobre não.  

Portanto, o livro reúne grandes ensinamentos sobre o uso correto do dinheiro de modo geral, que você verá com mais detalhes a seguir e pode ver completamente iniciando a leitura do livro.  

Quem é o autor do livro Pai Rico, Pai Pobre? 

Robert Kiyosaki é empresário, economista e investidor. Porém, a sua grande atribuição e que fez com que ele construísse a sua reputação é a atuação como escritor.  

O autor escreveu mais de 15 obras ao longo de sua carreira tratando sobre educação financeira. A principal delas, no entanto, é a que estamos tratando aqui neste artigo. 

Robert Kiyosaki
Robert Kiyosaki, autor do livro Pai Rico, Pai Pobre (Foto: Divulgação) 

O livro “Pai Rico, Pai Pobre”, lançado no ano de 1997, é um dos grandes livros de economia da história, tendo vendido mais de 26 milhões de cópias no mundo todo, com tradução para 40 idiomas e comercialização em mais de 80 países. 

Kiyosaki nasceu no ano de 1947, nos Estados Unidos, em uma cidade chamada Hilo, no Havaí. Ele tem ascendência nipo-americana.   

7 ensinamentos do livro Pai Rico, Pai Pobre 

Agora, vamos à parte fundamental do artigo. Vamos te mostrar 7 ensinamentos importantíssimos do livro “Pai Rico, Pai Pobre” que você deve aplicar tanto para a sua rotina financeira quanto para os investimentos especificamente. 

Confira e reúna aprendizados para aplicar na sua vida.   

1 – Fuja da corrida dos ratos 

No livro, o autor utiliza um termo que virou símbolo quando falamos de educação financeira: a “corrida dos ratos”. 

O que o autor chama de corrida dos ratos é o fato de as pessoas estarem sempre trabalhando para comprar bens. Com isso, elas enraízam esse comportamento consumista e seguem esse ciclo vicioso mesmo caso aumentem de patamar financeiro.  

Isso faz com que elas se tornem escravas de suas rotinas.  

O pior é que mesmo que a renda vá evoluindo, em vez de poupar ou investir, muitas pessoas aumentam o padrão de vida, gastando novamente todo o salário.  

Com isso, se veem sempre obrigadas a ganhar dinheiro para sustentar o estilo de vida. 

Isso no longo prazo vira um grande problema, já que pode acarretar dívidas e muita dificuldade financeira principalmente na terceira idade, quando trabalhar para gerar renda vai se tornando cada vez mais difícil.  

Sendo assim, antes de mais nada, o primeiro ensinamento é para que você fuja do padrão de comportamento da corrida dos ratos! 

Abaixo, indicaremos como você deve fazer isso.  

2 – A educação financeira é fundamental 

O que fazer para fugir da chamada corrida dos ratos? Exatamente! Focar na educação financeira, que inclusive é algo que a Finclass está aqui para te ajudar! 

Para isso, segundo o autor, a pessoa precisa ter melhores noções de como funcionam o mercado, a economia, o dinheiro, as leis e as estratégias de investimentos, já que são pontos fundamentais para que você prospere financeiramente.  

Por isso, o segundo ensinamento é para que você foque na educação financeira e se utilize de meios de ensino teóricos ou práticos que vão te ajudar a chegar nesse nível de conhecimento.

3 – Busque sempre conhecimento (e não só pelos meios formais) 

A ideia desse ensinamento é mostrar que as pessoas não devem nunca parar de estudar, independentemente do grau de instrução que tiverem.  

Afinal, sempre é tempo de aprender temas novos, até porque as coisas mudam e você não deve ficar desatualizado das novidades que impactam em sua vida. 

Em virtude desses pontos, para o autor, a busca pelo conhecimento deve ser constante. Isso não só em relação ao dinheiro, mas também profissionalmente e para a vida pessoal.  

Além disso, quando o autor afirma isso, não está querendo destacar apenas a educação formal, como faculdade, mestrado, cursos e outros meios de educação. Ele destaca que você deve buscar métodos alternativos e experiências práticas. 

Tanto é que o “Pai Rico” representando no livro, não havia terminado o Ensino Médio e se tornou um dos homens mais ricos do Havaí. Já o pai pobre tinha todos os títulos acadêmicos, mas faleceu deixando dívidas para a família.  

Sendo assim, muito mais do que títulos acadêmicos, você deve ter autodisciplina para estudar e aprender por conta própria. Essa é uma capacidade fundamental hoje mais do que nunca, e a internet veio e está aí para potencializar e ampliar esse tipo de prática. 

4 – Saiba diferenciar ativo e passivo 

No livro, Robert Kiyosaki vai além dos termos de contabilidade e define ativos e passivos de uma forma bem simples para aplicação na vida de um cidadão comum: 

  • Ativo é tudo aquilo que coloca dinheiro no seu bolso 
  • Passivo é tudo aquilo que tira dinheiro do seu bolso 

Portanto, o objetivo do autor é mostrar que as pessoas devem evitar comprar itens que vão impactar em suas contas e inserir em uma dívida sufocante ou impagável. 

Por exemplo: um carro para uma empresa é considerado um ativo. Afinal, é um bem que essa companhia tem e ela pode negociá-lo caso precise de um dinheiro.  

Para o autor, porém, o carro para uso pessoal deve ser considerado um passivo. Afinal, você gasta com manutenção, gasolina, seguro e impostos – isso sem contar o custo de oportunidade que você tem ao deixar de investir. Sendo assim, esse tipo de item gera gastos mensais e pode sufocar as suas finanças. 

Ao criar uma dívida para comprar um carro, você pode estar comprometendo o seu futuro, já que pode entrar em juros impagáveis e deixar de guardar dinheiro e investir para construir o seu patrimônio.  

Portanto, o ensinamento de Kiyosaki é: pare de comprar passivos e comece a investir em ativos, principalmente enquanto ainda estiver na fase de construção de riqueza. 

5 – Não trabalhe pelo dinheiro, faça o seu dinheiro trabalhar por você 

Lembra o que falamos da corrida dos ratos? Geralmente uma pessoa que segue essa prática é aquela que trabalha pelo dinheiro.  

Afinal, em um primeiro momento ela trabalha, mesmo que seja em um emprego que não gosta, pelo medo de ficar sem dinheiro.  

Depois, caso consiga um melhor salário, a situação não muda. Essa pessoa vai prontamente aumentar o custo de vida e seguir a mesma rotina que não levará a lugar nenhum: trabalhar para comprar bens materiais e pagar o custo deles.  

Portanto, o objetivo de Kiyosaki aqui é mostrar que a pessoa não pode entrar nesse ciclo vicioso. Ela deve encontrar formas de fazer o dinheiro trabalhar para ela.  

E como isso é possível?  

Para os mais arrojados, a principal forma de fazer isso é empreendendo. Afinal, criar um negócio de sucesso é a prática que mais vai te fazer enriquecer ao longo da vida. No entanto, essa prática apresenta maiores riscos e necessidade de capital. 

Portanto, caso você tenha um estilo mais conservador e não pense em largar o seu emprego, também é possível enriquecer no longo prazo. Isso é possibilitado por meio dos investimentos.  

Ou seja, aportando parte do seu salário de pouco em pouco, em alguns anos você já estará vendo os benefícios dos juros compostos e do aumento de patrimônio. Dessa forma, no longo prazo você colherá os frutos e poderá caminhar rumo à liberdade financeira.  

6 – Comece cedo e fuja das crenças limitantes 

Outro ensinamento valioso é na parte mental. Afinal, um dos fatores mais importantes nos investimentos é o tempo, e ter noção disso e mentalidade forte para aguentar os momentos de baixa é o que te levará à prosperidade.  

Portanto, quanto antes você começar, melhor!  

Assim, você aproveita os benefícios das boas práticas financeiras e pode colher os frutos lá na frente. 

Sendo assim, o ensinamento é: comece hoje! 

Aí você pode estar pensando: e seu eu tenho uma idade mais avançada, já acabou para mim? 

Nada disso! 

O autor fala que pessoas nessa situação devem fugir dessas crenças limitantes e começar o quanto antes. 

Afinal, todo tempo que você passa se lamentando vai fazer falta lá na frente, e não começar é muito mais grave do que começar um pouco mais tarde. 

Então, fuja de discursos de lamentação confortantes e mude os seus hábitos hoje mesmo para buscar um futuro melhor. 

Por isso, refine a sua educação financeira, mude os seus hábitos e colha os frutos dessa escolha!  

7 – Invista em você 

Um último insight do livro é que devemos investir sempre no maior patrimônio que temos: nós mesmos! 

Por isso, o autor reforça para que a melhor forma de prosperarmos é investindo em práticas que vão potencializar as nossas habilidades e conhecimentos como seres humanos. 

Portanto, para fugir da corrida dos ratos você deve ir atrás de tudo que vai te fazer evoluir: faça cursos que vão te fazer crescer profissionalmente, vivencie experiências práticas e, além de tudo, aprenda como investir e fazer o seu dinheiro trabalhar para você! 

E para te ajudar a chegar em um futuro próspero, a Finclass está aqui! 

Em nossa plataforma, você encontra diversas aulas com qualidade de cinema e pode aprender com grandes nomes do mercado financeiro toda a trajetória para se tornar uma pessoa que cuida bem das finanças. 

Na Finclass você encontra aulas que vão desde a ajuda para que você organize as suas finanças até chegar em operações das mais complexas dentro do mercado financeiro. Do básico ao avançado. 

Portanto, não perca tempo! Conheça a Finclass e comece agora mesmo a trilhar o seu caminho rumo à liberdade financeira! 

Conclusão 

Esses foram alguns dos ensinamentos que tiramos do livro Pai Rico, Pai Pobre.  

A boa notícia, porém, é que você ainda pode ir além!  

Isso porque, na segunda semana de agosto, vamos lançar um Finbook especial sobre esse livro.  

Nessa modalidade de aula, chamamos um grande nome do mercado financeiro para falar sobre algum livro marcante do nicho e, além de explicar com detalhes a história da obra, também dar os seus insights pessoais sobre o tema. 

Ramiro Gomes Ferreira - Pai rico, pai pobre
Ramiro Gomes Ferreira comanda o Finbook sobre o livro “Pai Rico, Pai Pobre” (Foto: Finclass) 

O conteúdo é útil tanto para quem leu o livro poder fixar o tema quanto para quem ainda não leu e quer iniciar a leitura prestando atenção nos detalhes dos ensinamentos passados na obra.  

Para conduzir o finbook do livro “Pai Rico, Pai Pobre” chamamos ninguém menos que Ramiro Gomes Ferreira.  

Entre outras grandes atribuições, Ramiro é: 

  • Sócio-fundador do Clube do Valor  
  • Gestor CGA (Certificação de Gestores ANBIMA) 
  • Planejador financeiro CFP (Certified Financial Planner) 
  • Um dos grandes influenciadores de finanças do momento, com dezenas de milhares de seguidores. 

Para saber mais detalhes sobre essa aula e saber tudo o que você vai aprender, basta clicar aqui.

Related Posts